quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Quando eu crescer quero ser...



Com a proximidade da minha formatura e o desespero de ter escolhido ser jornalista (profissão mal remunerada e que não exige diploma,) reavaliei alguns tipos de trabalhos que eu sempre desprezei, mas hoje em dia morro de inveja de quem os exerce. Lá vai a lista de profissões  que eu gostaria de marcar o “X” nas fichas cadastrais:

Dona de casa
Descrição da atividade: Arrumar a casa, organizar a lista de compras no mercado, analisar as ofertas da rede super, cozinhar, decorar os ambientes e esperar o marido com janta e cara de feliz.

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Você nunca será tirado de casa às pressas para fazer teu trabalho.

Ambições profissionais: Que a casa seja própria, que tenha quatro quartos, três banheiros, quintal com horta e a cozinha seja 40% do tamanho da casa.

Pretensão salarial: Panelas Tramontina anualmente.

Teoria essencial: Nunca se deve misturar roupas brancas com roupas de coloridas.

Gostosa
Descrição da atividade: Malhar diariamente, comer somente coisas saudáveis, nunca andar desalinhada, manter a bunda dura, ter peitos apontando para frente, jamais ter barriga e adjacências e nem por decreto ser portadora de celulite.

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Não precisar o cérebro para ganhar dinheiro e saber que nunca vai escutar a frase: “eu esperava mais de você”.

Ambições perante o cargo: Poder malhar em uma academia VIP e ter o mesmo personal da Luma de Oliveira.

Pretensão salarial: Quanto a playboy está pagando mesmo?

Teoria essencial: Se conteúdo fosse tão importante as embalagens seriam todas iguais.

Esposa Gostosa

Descrição da atividade: Primeiro passo para o andamento das atividades é casar com jogador de futebol. Malhar, gastar a grana do marido, fazer pequenas incisões cirúrgicas, ir ao salão, ser presidente do Lions, fotografar para as sociais e gastar mais dinheiro do esposo.

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Abrir o jornal direto no segundo caderno e ter a certeza que se teu nome estiver ali dentro, não foi porque você estudou durante quatro anos (ou mais).

Ambições perante o cargo: Ser capa da Caras.

Pretensão salarial: Agregar o maior número de pensões possíveis ao longo da carreira.

Teoria essencial: As feias que desculpem, mas eu me mijo de rir da cara delas.



Vendedor de coco na Bahia

Descrição da atividade: Abrir coco, colocar o canudo e tentar fazer o cálculo do troco.

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Saber que se ganha tão mal quanto, mas não precisou estudar e ainda mora na praia.

Ambições perante o cargo: Que o coco se abra sozinho e o canudo pule para dentro dele.

Pretensão salarial: O necessário para não precisar procurar emprego em uma redação.

Teoria essencial: Catar coco no asfalto pode ser perigoso e atrapalha o fluxo de veículos.

Político de âmbito nacional

Descrição da atividade: Lícitas?

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Eu não preciso nem responder essa.

Ambições perante o cargo: Seguir os passo do Pedro Simon e passar a vida toda mamando nas tetas da mãe pátria.

Pretensão salarial: Se der para aumentar anualmente seria bom né, sabe como é, o pão de cada dia é brioche e o queijo brie está pela hora da morte.

Teoria essencial: Tratar o povo como se ele fosse gente.


Apresentadora de programa popular na TV aberta

Descrição da atividade: Fingir que se importa com o problema dos outros, dramatizar fatos patéticos, não ter raiva de gente burra e se comportar como uma imbecil diante das câmeras.

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Ter a certeza que nunca vai perder a vaga para uma modelo, porque elas não se enquadram neste formato de programa.

Ambições perante o cargo: Poder usar mini saia até os 92 anos.

Pretensão salarial: O mínimo pago pela emissora.

Teoria essencial: Manipular gente burra não tem graça, mas ver eles expondo a vida deles é muito divertido.



Jogador de futebol

Descrição da atividade: Jogar futebol

Principal Vantagem em relação ao jornalismo: Jogar futebol

Ambições perante o cargo: Jogar futebol fora do Brasil.

Pretensão salarial: 1000.000.00000.00000.000000.00000.000000.00000.0000.00

Teoria essencial: O sol nasce para todos, mas só se põe dentro do mar para quem tem cobertura nas Ilhas Maldivas.


Mas enquanto estas oportunidades não surgem...” a gente vai levando, a gente vai levando”.

sábado, 17 de outubro de 2009

Meu amor de sempre



 



Não é segredo para ninguém que eu sou uma mulher apaixonada. Mas o que ninguém sabe é que amo o mesmo moço há 13 anos. O nome dele é João Paulo. Nasceu no dia 17 de outubro de 1996 de dentro da barriga da minha irmã. Quando ele chegou lá em casa, com pouquíssimos dias de vida, eu o achei muito feio. Fiquei com pena da mana e do meu cunhado. Eu acho que ele notou essa minha desaprovação estética e como vingança passou um mês chorando todas as madrugadas dentro da minha casa. Mas convenhamos, ele era todo vermelho, com olhos amarelos e a clássica cara de joelho, não tinha dizer: “ Ai que amor.”

Depois foi a minha vez de ir para casa dele. Fui lá cuidar o rebento, já que minha irmã tinha que voltar ao trabalho. Quando chego a Pelotas, dou de cara com um puta nenezão coisa mais linda: Obrigada senhor, vos sabes o quanto eu não gosto de gente feia e não me castigou com um sobrinho tinhoso. O guri estava lindo que parecia de capa de revista. Então ficávamos eu e ele, juntinhos durante toda tarde. Nossa principal brincadeira era a baba voadora: a ação consistia em colocar o pequeno afilhado nos joelhos e imitar um avião. Devido à falta de dentes e o riso incontrolável, JP fica de boca aberta babando em mim. Lindo! Alias tudo era lindo: soltava um pum, lindo. Arrotava, lindo. Coco no ponto, lindo. Mijar na cara da avó, lindo também.

E o meu piá foi crescendo. Meio Édipo, mais foi. Apaixonado, passionalmente, pela mãe, aos três anos a tarefa de cuidar dele era coisa para profissional. O guri virava em goela toda vez que a mãe dele saia para trabalhar. Para o leitor ter uma noção de tempo ele começa a berrar na hora do Jornal Hoje e só parava no final do Vale a pena ver de novo. E eu fazia de tudo para acalmar o macro baby: dançava, rolava do chão, dava colo, picolé (que ele pedia para assoprar porque estava saindo fumaça)...Enfim, tudo, mas ele só parava quando cansava.

Aprendeu a andar, bater no gato (eu não tenho nada a ver com isso), cantar, fazer carinhas engraçadas e olhar filme. Entre os preferidos do moreno bocudo o que mais se destacava era o desenho do Hercules, assistido 6478229172 vezes por dia.  Passeios de bike, sanduíche com pepino e MUITO catchup, idas à Baronesa, porradaria no Mortal Combate, idas ao laranjal e leitinho com Nescau. Tudo isso me faz lembrar o João.

O JP sabe, e eu sempre vou dizer, que ele e a gorda são as coisas mais lindas da minha vida. Não sei nem explicar o amor que eu sinto por eles, é acima de tudo e de qualquer coisa. É puro e inabalável. Tenho muito orgulho de ver esse guri crescendo amigos de seus amigos, gatinho das guriazinhas, neto querido, sobrinho parceiro, brincalhão, humilde, educado, generoso, paciente( como o pai) e gato, muito gato: moreno, que vai ser alto, bonito e sensual, talvez seja os motivos dos meus problemas, já sou uma tia mega psicopata e morro de ciúmes dele.

Enfim, de todos os presentes que a minha irmã me deu (e olha que não foram poucos) sem duvida o filhotinho de tatu é o melhor. Ela me deu meu primeiro filho e ainda criou e sustentou-o pra mim. Eu sempre digo que o João nasceu educado, por que ele sempre foi um cavalheiro e isso não foi minha irmã que ensinou (e muito menos eu).  Te amo pequeno, mais que tudo, além de tudo e para todo sempre.